Planejamento Pessoal para 2016

  • 1

Planejamento Pessoal para 2016

Uma verdade que eu aprendi a algum tempo, e que tem me ajudado, principalmente nos últimos 5 anos, é a diferença que um bom planejamento faz na realização de meus objetivos.

Quem planeja tem infinitas vezes mais chance de alcançar seus objetivos do que quem simplesmente faz as coisas sem planejar antes.

Arrisco dizer que para pequenas empreitadas, pequenos sonhos, pequenos objetivos, talvez o planejamento faça pouca diferença. Mas se você quer realmente alcançar grandes objetivos, precisa fazer um bom planejamento. Para construir uma casinha de cachorro, talvez o planejamento faça pouca diferença, mas para construir um edifício, o planejamento é fundamental.

“Qual de vocês, se quiser construir uma torre, primeiro não se assenta e calcula o preço, para ver se tem dinheiro suficiente para completá-la? Lucas 14:28

Porém eu sei que a maioria das pessoas não tem ideia de como fazer um planejamento. Tenho ciência de que a maioria não sabe nem por onde começar. Por isso, vou explicar em 5 passos simples, como montar seu planejamento para 2016 e no final, vou disponibilizar um modelo de planejamento para você poder montar o seu com mais facilidade.

strategic_planning-500x300

São apenas 5 passos, para montar seu planejamento e você poderá utilizar um modelo para facilitar o seu trabalho. Tenho certeza que com o seu planejamento em mãos, você conseguirá conquistar muito mais do que jamais imaginou.
Não estou brincando. Mas você terá que acreditar em mim primeiro, para depois poder comprovar. Terá que fazer seu próprio planejamento, utilizá-lo e depois terá convicção do que estou falando.

Um planejamento é simplesmente a resposta a 3 questões básicas:

  • Onde estou?

  • Pra onde vou?

  • Como eu vou?

Como um exemplo bem simples, um planejamento de viagem, seria mais ou menos assim:

  • Onde estou? – São Bernardo do Campo / SP – Bairro Paulicéia
  • Pra onde vou? – Santos / SP – Ponta da Praia
  • Como eu vou? – De carro, de ônibus, de helicóptero, de bicicleta, caminhando, de carona? Vou pela Rodovia Anchieta, pela Rodovia dos Imigrantes ou pelo Caminho do Mar (Estrada Velha de Santos)?

Veja que a primeira questão deve ser a mais fácil de responder: Onde estou?

A segunda questão, “Pra onde vou?”, depende de uma definição clara de meu objetivo. Se não souber exatamente onde quero chegar, dificilmente alcançarei meu objetivo.

Tendo claro onde estou e pra onde vou, vem a melhor parte do planejamento: “Como vou?”
A terceira questão, é cheia de possibilidades. No exemplo acima podemos ver que existem algumas possibilidades mais óbvias e outras mais complexas. Algumas possibilidades mais baratas e outras mais caras, algumas mais rápidas e outras mais lentas, algumas onde posso realizar sozinho, outras onde dependo de outras pessoas.

Enfim, quando tenho claro “onde estou” e “pra onde vou”, responder “como ir” é um verdadeiro desafio formado por um leque de possibilidades que dependem de meus recursos e de minhas vontades.

Com um planejamento anual em mãos, você terá um verdadeiro mapa, que te mostrará os caminhos para conquistar seus sonhos, dia após dia.

Mas antes de começar com o planejamento, preciso explicar um aspecto importante para termos sucesso completo em nossas vidas, as sete saúdes.

Vou dividir seu planejamento em 7 áreas que muitos especialistas chamam de 7 saúdes.

Sete Saúdes

As sete saúdes são nada mais do que uma visão mais completa de nossas vidas.
Pense comigo, você se sentiria completo se tivesse um excelente trabalho, fosse reconhecido e bem pago, mas com uma família destruída?
E como se sentiria se sua imagem refletida no espelho fosse dentro dos padrões de beleza, mas quando abre a boca as pessoas franzem a testa se perguntando “O que ele está falando?”

Por isso, para termos um planejamento completo e eficiente, precisamos cuidar dessas sete áreas importantes de nossas vidas.

Vamos entender melhor as Sete Saúdes:

 SAÚDE FÍSICA Trata-se do seu corpo, sua aparência, seu peso, seu fôlego, sua disposição para o trabalho e atividades de lazer, visitas regulares ao médico, etc.

 SAÚDE EMOCIONAL Trata-se da saúde dos seus relacionamentos. Relacionamento com você mesmo, com seus amigos, com os colegas de trabalho e de escola, com os seus familiares, marido, esposa, filhos, etc.

 SAÚDE INTELECTUAL Trata de cursos, leituras, assistir bons filmes, tocar instrumentos. Uma pergunta que pode ser feita para pensarmos na saúde intelectual, é o que você tem feito para desenvolver suas habilidades e talentos?

 SAÚDE PROFISSIONAL Trata-se efetivamente do seu trabalho. Você trabalha na área que gosta? Como tem sido sua performance profissional? Produzir resultados e ser reconhecido por eles são sinais de saúde profissional.

 SAÚDE SOCIAL Aqui devemos pensar em como nos relacionamos com a comunidade. A participação social interfere diretamente em nossa qualidade de vida.

 SAÚDE ESPIRITUAL Orar, ler a bíblia, meditar, silenciar a mente são práticas que nos ajudam a ter paz e tranquilidade.

SAÚDE FINANCEIRA Como você ganha, gasta, economiza e investe seu dinheiro? Saúde financeira em desequilíbrio causa muitos problemas e no mínimo, muita dor de cabeça.

Muito bem, entendido que precisamos pensar na nossa vida como um todo, vamos ao planejamento.

Pronto pra começar?

 future_plans1

Passo 1

Alguns sabem que além de especialista em finanças e gestor financeiro, também sou professor universitário. Entre as principais matérias que leciono, sempre encontro relacionamentos em suas essências. E o início de qualquer projeto, plano, objetivo ou meta, sempre deve ser o diagnóstico.

Diagnóstico nos faz pensar nas consultas médicas. Mas é da mesma forma que devemos proceder, fazer um diagnóstico pessoal. Um diagnóstico pessoal deve responder à primeira pergunta do planejamento: Onde estou?

Onde estou, não quer dizer apenas de localização física, mas de todo o complexo de informações que me dizem onde estou em diferentes áreas de nossas vidas, dentro das sete saúdes.

Uma formar de entender isso é simplesmente lembrar de como foi seu ano de 2015?

Quero que você comece seu planejamento de 2016, listando suas conquistas de 2015.

Pegue seu planejamento e comece a listar as realizações dentro de cada saúde. Em seguida, continue definindo sua posição atual com o refinamento de informações que descrevam exatamente qual sua situação atual dentro de cada saúde.

 

Passo 2

Definida nossa posição atual, podemos passar para o segundo ponto fundamental para nosso planejamento: Pra onde vou?

Sei que para muitas pessoas essa é a resposta mais difícil de se responder.

Temos milhares de possibilidades a nossa frente e ao mesmo tempo temos outros milhares de limitadores que nos impedem de transformar as possibilidades em novas realidades.
Queremos crescer profissionalmente dentro das empresas, mas trabalhamos em uma micro-empresa familiar.
Queremos ter um corpo saudável, mas não resistimos a um chocolate no meio da tarde.
Conheço pessoas que tem diversos conhecimentos, em áreas bem distintas, que possibilitariam trabalhar em diversas empresas e em áreas diferentes, mas sempre são contratadas para fazer o mesmo trabalho de sempre, com o mesmo salário de sempre.

Entendo que é uma resposta bem difícil de ser respondida.

Percebo que muitas pessoas não conseguem definir com clareza para onde ir, pois não querem limitar suas possibilidades. Mas quero esclarecer uma coisa: Não tenha medo de errar.

Só não erra, quem não faz, quem não executa nada.

Não tenha medo

Não tenha medo de definir pra onde você quer ir, não tenha medo de definir em qual direção caminhar. Se estiver errado, Volte. Se não gostou, mude de direção.

A vida é longa!

Mente quem diz que a vida é curta. A vida é longa. Muito longa.

Nós subestimamos o que podemos fazer em um único dia.
Subestimamos o que podemos fazer ao longo de vários dias.

Muitas pessoas não pensam em seus objetivos. Algumas até pensam, mas não fazem nada a respeito. Poucas pessoas efetivamente conduzem suas vidas pelos caminhos que elas escolheram. Essas pessoas têm certeza de que a vida não é curta, pois realizaram muitas coisas ao longo da vida.

Seu planejamento vai te ajudar a atingir diversos objetivos. Mas não se preocupe, se não conseguir atingir esse ano, continuaremos a perseguir esses e novos objetivos nos próximos anos.

Entenda que não quero que defina objetivos que não vá cumprir. Quero que não seja muito duro consigo mesmo.

Permita-se errar.
Permita-se sonhar.
Permita-se acertar.
Permita-se conquistar.

Se escolheu um objetivo e percebeu que ele não faz mais sentido, OK. Altere seu planejamento, reveja seus objetivos e siga na nova direção.

O que eu estou tentando dizer é que esse pode ser o seu primeiro planejamento na vida, ou pode ser o primeiro mais estruturado, não importa, o que importa é que você precisa entender o poder de planejar sua vida e fazer planejamentos frequentemente. Estamos aqui, em janeiro, planejando 2016. Em dezembro, vamos planejar 2017. No próximo ano, vamos planejar 2018 e assim sucessivamente.

Se o planejamento de 2016 não ficar tão bom, não importa. Em 2017 ele será melhor. Em 2018 ainda melhor, e melhor e melhor e melhor a cada ano. Mas se não começar a definir objetivos hoje, você corre o risco de dentro de pouco tempo se ver cantando aquele samba: “Deixa a vida me levar, vida leva eu…” E posso te afirmar que se você não definir o caminho que quer conduzir sua vida, certamente será conduzido para qualquer lugar, provavelmente um lugar que não te agrade. E a sua percepção será de que a vida é curta, pois não fez nada do que queria fazer. Mas teve tempo para fazer.

Não importa a direção, defina onde quer chegar no final de 2016.

Crie seus objetivos e metas para 2016 e acredite que serão atingidas, tenha fé!

Importante: Defina metas que são possíveis de serem mensuradas e alcançadas.

Exemplo: Eu defini, no meu planejamento de 2016, como uma meta dentro da saúde financeira que vou poupar e investir R$ 1.000,00 / mês.
Veja que é uma meta atingível dentro da minha renda e com uma quantidade bem específica R$ 1.000,00

 

Passo 3

Detalhe cada uma das metas definindo Quantidades e Prazos para cada uma delas.

Não adianta nada colocar no meu planejamento que quero apenas guardar dinheiro. Preciso saber para que quero isso e quanto eu quero e em qual prazo. Preciso saber exatamente o quanto é possível poupar. Preciso definir que vou investir. E preciso definir o prazo para isso.

Não quero guardar dinheiro. Quero poupar e investir para deixar o dinheiro trabalhar por mim no futuro.
Sei que R$ 1.000,00 / mês não vai me deixar rico nem ficar sem trabalhar e viver de renda.

Também sei que não é uma meta fácil. Vou precisar abrir mão de alguns desejos de curto prazo e manter as contas dentro de um orçamento que possibilite atingir essa meta, mas é possível.

Então, podemos perceber que essa meta é bem específica e tem uma quantidade bem clara e definida.

Precisamos também determinar o tempo de atingimento da meta. Nesse caso determinei R$ 1.000,00 / mês, ou seja, no último dia de cada mês, preciso olhar para meus investimentos e observar que conseguir fazê-los crescer R$ 1.000,00

Fotolia_61091837_XS-424x216

Se você determinou uma meta que não possa ser medida, não vai conseguir ter segurança de que ela foi cumprida e isso pode prejudicar seu planejamento.

Já vi pessoas colocarem como meta, ser feliz. Mas como medir a felicidade? Simplesmente não dá.

Mas se gastarmos um pouco mais de tempo, podemos melhorar essa meta, de uma forma que ela possa ser medida.

Vamos dar um exemplo. Estar com minha família me faz feliz, viajar me faz feliz, ter as contas em ordem me faz feliz, fazer churrasco me faz feliz. Bom, pensando um pouco, se eu conseguir realizar essas coisas, vou me sentir feliz. Então posso dividir em diversas metas que eu vou conseguir medir e terei certeza de que atingi os objetivos.

  • Posso determinar na Saúde Emocional que quero visitar ou receber a visita de parentes pelo menos 1 x por mês e fazer ou participar de um churrasco em família uma vez a cada 2 meses.
  • Posso colocar que quero viajar 4 vezes nesse ano. Podem ser 3 viagens curtas (praia ou interior) e 1 viagem longa (nordeste, por exemplo)
  • Depois, posso colocar na Saúde Financeira que quero pagar todas as contas em dia e ter uma reserva financeira de pelo menos 3 meses de despesas fixas para eventualidades.

Dessa forma, consigo mensurar minha felicidade.
Vejam que são apenas exemplos, cada um tem coisas que te agradam e te deixam felizes.

Agora é preciso prestar atenção pois, se eu consegui cumprir as minhas metas e não estou me sentindo feliz, talvez eu precise de aconselhamento profissional para entender onde está efetivamente o problema e assim definir metas mais adequadas.

Para deixar as metas mais claras e visuais, podemos utilizar desenhos ou fotos de nossas metas no planejamento. É importante que o seu planejamento seja muito pessoal com suas metas, seus sonhos e seus objetivos. Pra isso, utilize recursos visuais.

 

Passo 4

Defina as tarefas necessárias para atingir os objetivos. Efetivamente, como vou chegar ao lugar que eu defini como meta?

Lembrando da minha meta de poupar e investir R$ 1.000,00 / mês, agora eu preciso saber como atingir esse objetivo.

No passo 4, vamos definir as ações para atingir os objetivos e metas.

Que nesse caso, vou definir que preciso Aumentar minha renda e reduzir meus custos mensais. Como aumentar a renda é um pouco mais difícil, vamos pensar primeiramente em reduzir os gastos. Pra isso, preciso listar todos os custos fixos (prestação da casa, condomínio, água, luz, gás, TV a cabo, telefone, celular, despesas de mercado, etc) e os custos variáveis (jantar fora, viagens, presentes, churrascos, etc.). Com essas informações determino o quanto eu preciso para manter minha família e quanto consigo poupar de meu orçamento. No meu caso, faço isso em conjunto com minha esposa, pois se vamos abrir mão de algo, precisamos estar de acordo com essa privação de curto prazo para atingir metas de longo prazo (aposentadoria confortável).

Para uma meta de compra de imóvel por exemplo, podemos definir um valor mensal a ser poupada para termos a quantia necessária para dar entrada no financiamento imobiliário.

 

Passo 5

Comemore as conquistas.

As conquistas precisam ser comemoradas e desfrutadas.

Quando atingir o primeiro objetivo, comemore junto com as pessoas que são importantes na sua vida e te ajudaram a atingir aquela meta.

 

Champagne-romance

 

Baixe o modelo de planejamento para você poder montar o seu Planejamento Pessoal para 2016 com mais facilidade, clicando aqui

Espero que esse pequeno guia mais o modelo te ajude a conquistar muitas vitórias no ano de 2016!!!

 

Consagre ao senhor tudo o que você faz, e os seus planos serão bem-sucedidos. Pv 16:3


  • 0

Economizar Poupar Investir

Economizar, poupar e investir geralmente são vistos como sinônimos, quando, na verdade, representam etapas distintas do planejamento financeiro.

No Brasil, pesquisar preços e pechinchar já faz parte da rotina da maioria das pessoas. Quando temos intenção  comprar algo, a maioria dos brasileiros procura comparar preços, buscando opções mais baratas do mesmo produto. Mas este esforço muitas vezes acaba se perdendo, porque o dinheiro economizado em um item acaba sendo gasto em outro.

discounts-300x300

Economizar tem que ser visto de uma forma mais abrangente

Ainda que a capacidade de comparar preços e gastar menos com um determinado item seja uma parte
importante do planejamento orçamentário, ela acaba não gerando os benefícios necessários quando é
vista de forma isolada.

O grande problema é que a maioria de nós não elabora um orçamento familiar.

Orçamento

Sem uma visão clara do seu padrão de gastos mensal, fica difícil entender o impacto que a economia na compra de um determinado produto (ou serviço) tem no todo. Com isso, a decisão de economizar passa a ser quase um reflexo e não parte de um planejamento.

O que realmente acontece é que o dinheiro economizado com um item, acaba sendo gasto com outro.

E isso é muito ruim, pois economizar implica em esforços, que acabam não sendo recompensados se o dinheiro é gasto de outra forma.

Por quê é ruim?

Porque você economiza, mas não poupa.

money

Você faz um esforço extra para economizar dinheiro, mas não consegue acumular um patrimônio, de forma a melhorar a sua qualidade de vida. Dessa forma, fica a sensação de sacrifício permanente, sem um retorno adequado.

Isso é muito desistimulante e acaba te fazendo abandonar a disciplina de pesquisar preços e economizar, sem a qual você pode perder o controle financeiro e entrar em dívidas.

Da economia à poupança 

Economizar dentro de um  contexto de um planejamento financeiro, é o que na verdade vai se tranformar em capacidade de poupar.

Apenas desta forma, o ato de economizar irá gerar melhora na sua qualidade de vida e permitir a formação de patrimônio.

Save-money

Transformar economia em poupança fica mais fácil quando se possui um orçamento.

Isso ocorre porque, através do orçamento, é possível definir metas de poupança mensal, que impede que você gaste aquilo que economizou com outro item.

Com o tempo, da mesma forma como aprendeu instintivamente a comparar preços e economizar, você assimila novos hábitos de consumo e começa a tomar decisões mais inteligentes para o uso do seu dinheiro.

Da poupança ao investimento

Ainda que poupar seja uma etapa importante, o sucesso do planejamento financeiro de uma família também passa pela sua capacidade de fazer o dinheiro que conseguiu poupar, crescer ao longo do tempo.

Efetivamente é através do investimento, da aplicação dos recursos poupados, que o esforço de abrir mão de consumo hoje em favor da capacidade de poder gastar no futuro é recompensado.

Isso porque uma estratégia de investimento bem sucedida permite que a quantia poupada hoje, cresça mais do que a inflação durante o período em que estiver investida, o que permitirá o aumento do poder aquisitivo futuro.

Shiny new money saving or care concept

Imagine a seguinte situação:

Você consegue poupar R$ 500 por mês e, durante 60 meses, investe este dinheiro a uma taxa líquida de 5% ao ano acima da inflação. Após 5 anos, teria poupado R$ 30 mil, ou seja, você abriu mão de gastar R$ 500 por 60 meses.

Mas, como investiu este dinheiro a uma taxa que supera a inflação, ao final do período teria acumulado a quantia de R$ 33 mil.

Na prática isso significa que você “abriu mão de gastar R$ 30 mil” em favor de poder gastar R$ 33 mil no futuro, ou seja, 10% a mais do que guardou.

Portanto, que quanto melhor for a capacidade de uma pessoa de poupar e de investir o dinheiro que conseguiu, maior será o retorno para o “sacrifício” que fez e conseqüentemente, maior o poder aquisitivo futuro.

Pode-se afirmar, portanto, que o correto entendimento de como os atos de economizar, poupar e investir se relacionam não só é importante para o sucesso do planejamento financeiro, como também é parte fundamental na educação financeira de uma família.

Você já fez seu planejamento para esse semestre?

Comece hoje, tenha disciplina e paciência.
Aproveite o inicio do mês e coloque as contas em dia.
Economize, poupe e invista!

Os planos bem elaborados levam à fartura; mas o apressado sempre acaba na miséria.
Provérbios 21:5